Covid-19

Protocolo Didático-pedagógico

PROTOCOLO DIDÁTICO-PEDAGÓGICO

O Calendário Acadêmico 2020 da UNIFEBE foi readequado para garantir o cumprimento das horas de trabalho acadêmico efetivo previsto para o ano, com a utilização das tecnologias da informação e comunicação na mediação do processo de ensino aprendizagem. O protocolo descrito a seguir, deve ser observado nesse processo e no retorno gradual das aulas presenciais:

  • adotar a realização de aulas não presenciais, mediadas pelas tecnologias da informação e comunicação, enquanto perdurar a recomendação das autoridades de saúde para utilização do protocolo de saúde descritos no item 3.1;
  • realizar o retorno às aulas presenciais dos cursos de graduação e pós-graduação lato sensu, observando a Matriz de Avaliação de Risco Potencial Regional para Disseminação da COVID-19 e considerando a utilização de atividades não presenciais em conjunto com as presenciais, com um retorno gradativo à presencialidade de até 30%, 50% e 100% da capacidade de operação da UNIFEBE, operacionalizando-se em quatro etapas, distribuídas entre 14 de setembro e 3 de novembro de 2020:
    • 14 de setembro (segunda-feira): retorno de até 30% da capacidade de operação da UNIFEBE, contemplando alunos e docentes que não se enquadram nos grupos de risco e os componentes curriculares que realizam práticas em laboratórios didáticos especializados e práticas de estágios curriculares obrigatórios, mediante a utilização dos espaços de uso coletivo, conforme Quadro 7;
    • 28 de setembro (segunda-feira): retorno de até 30% da capacidade de operação da UNIFEBE, contemplando alunos e docentes que não se enquadram nos grupos de risco e os componentes curriculares que realizam práticas em laboratórios didáticos especializados, práticas de estágios curriculares obrigatórios, e componentes curriculares definidos como prioridade, mediante a utilização dos espaços de uso coletivo, conforme Quadro 7;
    • 13 de outubro (terça-feira): retorno de até 50% da capacidade de operação da UNIFEBE, contemplando alunos e docentes que não se enquadram nos grupos de risco e os componentes curriculares que realizam práticas em laboratórios didáticos especializados, práticas de estágios curriculares obrigatórios, e componentes curriculares definidos como prioridade, mediante a utilização dos espaços de uso coletivo, conforme Quadro 7;
    • 3 de novembro (terça-feira): retorno de 100% dos alunos e docentes às atividades presenciais.
  • desenvolver um plano de trabalho acadêmico domiciliar para os alunos que integram os grupos de risco da COVID-19;
  • alocar um monitor ou professor assistente, conforme análise da Proeng, para apoiar a realização das aulas dos componentes curriculares, cujo docente integra o grupo de risco da COVID-19;
  • disponibilizar manuais ou tutoriais com as possibilidades de mediação do processo de ensino e aprendizagem, por meio das tecnologias da informação e comunicação;
  • oferecer formação continuada para docentes da Instituição, considerando as tecnologias da informação utilizadas no processo de ensino aprendizagem e o planejamento de retorno gradual das aulas presenciais;
  • organizar o plano de trabalho didático-pedagógico de modo a permitir que as atividades presenciais sejam realizadas preferencialmente em locais abertos ou, caso não seja possível, que se evitem locais pequenos;
  • planejar as atividades presenciais que exijam interação física, para que ocorram sem contato entre alunos e, preferencialmente, sem compartilhamento de materiais;
  • utilizar metodologias de ensino diversificadas para assegurar o cumprimento do trabalho acadêmico efetivo;
  • flexibilizar o prazo final de entrega das Atividades Complementares, de acordo com a realidade de cada curso de graduação;
  • realizar os estágios curriculares obrigatórios e as atividades práticas de maneira não presencial, mediadas pelas tecnologias da informação e comunicação, sempre que possível;
  • permitir a realização da avaliação do processo de ensino aprendizagem de maneira não presencial e estabelecer formas de recuperação de conteúdo, sempre que necessário;
  • monitorar as atividades de ensino aprendizagem durante o período de pandemia, por meio da Autoavaliação Institucional, orientando a tomada de decisão a partir dos resultados;
  • flexibilizar o período de realização da Autoavaliação Institucional, considerando a readequação do Calendário Acadêmico 2020;
  • as atividades práticas dos cursos de Educação Física – Licenciatura e Educação Física – Bacharelado, deverão ser substituídas por atividades teóricas – fundamentos – no que couber, podendo ser realizadas atividades que estiverem de acordo com a Portaria SES nº. 258, de 21 de abril de 2020, observando o número máximo de acadêmicos por cada prática a ser definido pelo docente, respeitando o distanciamento de 2m;
  • planejar os horários das aulas de modo a evitar, sempre que possível, que os docentes mudem de sala aula em um mesmo turno.