notícias colégio
Notícias
21 de novembro de 2018
por: Daiane Benso
Arthur Timm

Semana da Consciência Negra promove reflexão sobre desigualdade em razão da cor

Evento será realizado de 20 a 22 de novembro. Veja a programação

Refletir no centro acadêmico a igualdade, dignidade e fraternidade, para que um dia talvez não existam tantas discrepâncias em razão unicamente da cor, é o principal objetivo da Semana de Consciência Negra realizada na UNIFEBE.

O evento, gratuito e aberto para a comunidade, teve seu início na noite de terça-feira, 20 de novembro, com uma mesa-redonda sobre intolerância religiosa, com enfoque nas religiões de matriz afro-brasileiras. Participaram o coordenador do curso de História da UNIVALI, Francisco Alfredo Braun Neto, o historiador e jornalista André Pinheiro e o Babalorixá Pai Miro de Ogunte, do Camdomblé.

A advogada e professora do curso de Direito da UNIFEBE, Daíra Andréa de Jesus, foi a mediadora do debate. A abertura do evento ainda contou com a apresentação musical de Anderson Costa e Sidney Silva. Durante a semana, que segue com programação até quinta-feira, 22, ainda haverá oficina e exposição.

Para Pinheiro, é essencial realizar uma mesa-redonda com essa temática para que a sociedade conheça mais este campo religioso brasileiro.

— A intolerância religiosa é um dos grandes motivos de hostilidades e agressões no país, e geralmente as pessoas temem e maltratam o que não conhecem. Por isso, a partir do conhecimento passamos a tratar com mais tolerância e respeito, assim esse momento é primordial — ressalta.

Braun Neto contextualiza o crescimento populacional da população afrodescendente em Santa Catarina, sobretudo no final do século 19, e sua contribuição na produção cultural e econômica do Estado.

— O evento promove o exercício da cidadania. O papel da academia é fundamental nesta formação e na produção científica — reitera.

O Babalorixá também destaca que a sociedade precisa conhecer a vida social do Candomblé, suas lutas e história. Conforme ele, assim poderá valorizar e saber realmente o seu significado.

Para a professora Daíra, refletir a temática dentro da instituição de ensino é louvável. Ele enfatiza que a abertura do evento é na data da morte de Zumbi dos Palmares — um líder emblemático no que diz respeito à resistência.

— São muitos os desafios à serem enfrentados, especialmente, em tempos de tanta intolerância, das proporções dela advindas e do alargamento do discurso de ódio. É preciso aprendermos a lidar com o assunto ainda ofuscado pela invisibilidade e pela insensibilidade. A reflexão permanente se faz necessária — salienta.

Programação

De 20 a 22 de novembro

Exposição: Indumentárias do Candomblé

Átrio do Bloco A

21 de novembro

Oficina de Percussão

Laboratório de Movimento Humano (Bloco E) – 19h

22 de novembro

Roda de Capoeira

Mestre Urso (Grupo Barro Negro)

Pátio do Bloco C – 20h

Fale Conosco / Assessoria de Comunicação Social e Marketing:

comunicacao.gestao@unifebe.edu.br / 47 3211-7223

Postagens relacionadas

Alunos da EEB Santa Terezinha têm aula no laboratório da UNIFEBE

Alunos da EEB Santa Terezinha têm aula no laboratório da UNIFEBE


14 de junho de 2012
Iniciam palestras da campanha Sinal Verde para a Educação no Trânsito

Iniciam palestras da campanha Sinal Verde para a Educação no Trânsito


22 de junho de 2012
Inscrições prorrogadas para os cursos de Pós-Graduação

Inscrições prorrogadas para os cursos de Pós-Graduação


04 de abril de 2006